segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Venha conhecer meu novo blog!

Queridos leitores,
É com muita satisfação que venho comunicar a vocês que criei outro espaço.
Peço que vocês, meus fiéis seguidores, visitem meu novo blog e me ajudem a fazer com que ele cresça e apareça internet a fora.
Espero vocês lá:  http://suspiroserabiscos.wordpress.com/

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Súplica de uma sonhadora

Estou sufocando-me aos poucos.Meu eu me pressiona e meus pensamentos me assombram.
Meus dias são levados por uma falsa alegria.Toda aquela tranquilidade que um dia eu senti, hoje se mistura com toda minha dor.
O sofrimento que arde em meu peito é causado por mim.Sou autora dos meus pesadelos e protagonista das minhas indecisões.
Medo.Sinto quase sempre.Substantivo infame, que me faz querer fugir do mundo e correr para além do horizonte.
Sonhos.Tive vários e tento acreditar em um.Substantivo que fora minha motivação mas que hoje não existe mais.Eles se foram, deixando um rastro intensamente doloroso.
Realidade.Vivo uma cruel.Palavra insana, que é ditada pelo cotidiano e adorada pelas necessidades a serem enfrentadas.
Medo,sonhos,realidade.Realidade,sonhos,medo.Confusa estou.
Dei um passo que não deveria ter dado, faço algo que nunca deveria ter começado.Estou feliz, infeliz, sem esperança, com esperança.Sou antítese, sou errante.
Meus sonhos estão sendo ofuscados pela minha indecisão.Os dias passam e já não sei qual a razão da minha insistência em uma utopia que para mim é real.
Ânimo me falta, angústia tenho de sobra.
Estou beirando um ataque de nervos,estou num sanatório sentimental.
Prontifico-me a mudanças.Fraquejo em momentos decisivos.Sei o que devo fazer.Prostro-me diante as dificuldades.
Minha realidade é amarga, porém o que sempre imaginei é doce.Puramente doce.
Estou em busca da minha felicidade, dos meus sonhos escondidos, mas para achá-los terei que dar um passo arriscado, um passo que talvez custe caro.
Devo arriscar ou continuar lamentando minhas decisões?
Eis a questão, a mais insuportável delas.

Mudanças...

Começo esse mini post agradecendo aos leitores do blog e quem gentilmente fez algum comentário nos meus últimos textos.
Faz tempo que não coloco nada aqui, porque tenho perdido a vontade de escrever e de acreditar no talento que muitos dizem que tenho e que no fundo sei que possuo um tiquinho.
Tantas coisas aconteceram, mas o prazer que sinto ao ler e mergulhar nesse mundo tão mágico das palavras de vez em quando reacende aqui no coração.
Quero mudar a cara do blog, dar uma cara nova e um outro nome também.Para isso estou entrando em contato com algumas designs, para ver se consigo fazer alguma coisa diferente.
Por enquanto irei postando que venho escrevendo e assim que eu conseguir achar alguém que faça meu layout, contarei aqui.
Talvez eu nem mude, mas vale tentar.

Perdão pela confusão das palavras...
Camila

quarta-feira, 9 de junho de 2010

O sonho que ainda virá

Ela tentara voar.Apostara todas as alternativas, mas o vento encarregou-se de fazê-la tentar algo diferente.
Quisera contruir um castelo, mas antes da torre erguer-se, seus tijolos vieram ao chão.
Sonhara conhecer o fundo do mar, mas as ondas eram fortes e seu nado até as profundezas eram insuficientes.
Amara, porém nunca fora correspondida por suas paixões.
Chorara amargamente durante inúmeras noites, queimando o chão com o ardor de seu choro e trazendo para si a escuridão de suas desiluções.
Passava-se os dias e lá estava ela, murmurando arrependimentos e perguntando-se o por quê de certas coisas.
As respostas não vinham, soluções não apareciam.
Certa vez, em uma tarde de sol, olhou para o céu e seu brilho reacendeu novamente.
Percebeu que não teria asas para voar, mas poderia admirar as criaturas que voavam.
Certamente não construiria um castelo, mas poderia visitar uma casinha no campo, e fazer dela a mais linda morada.
Sua visita ao fundo do mar não seria tão fácil, porém poderia nadar em um simples lago e fazer dele o mais imenso mar.
Ao lembrar-se de seus amores não correspondidos, seu peito ardeu, mas acreditou que nunca é tarde para o amor.
Ela sabia que um dia o verdadeiro amor bateria em sua porta e que quando ela menos esperasse, a magia que ela tanto sonhara, se realizaria.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Palavras avulsas

Ele folheava as folhas de seu caderno e como um vento que nos toca rapidamente, ele encontrou em sua última folha um recado.
Apressou-se em ler, pois logo mais o sinal tocaria e anunciaria o fim do dia.
Em seu caderno, as seguintes palavras faziam-se valer:
Desculpe-me se ao ouvir tua voz, meu corpo não consegue disfarçar e sem jeito logo fico até me faltar o ar.
Desculpe-me se seus olhos me hipnotizam e presa à eles fico até o segundo em que você começa a piscar.
Perdoe-me pelo meu jeito desconcertado, e pelos meus gestos engraçados.
Perdoe-me por eu tentar ser sua amiga e não suportar ser apenas isso.
Lamento por não conseguir ver você falando com outra pessoa que não seja eu.
Desculpe-me, perdoe-me, eu me apaixonei por você e agora seu sorriso não sai da minha mente.
Acho que é amor,tenho certeza que é platônico, uma simples ilusão.  
Alguém que está por perto
Terminou, fechou seu caderno.
Não sabia exatamente quem havia escrito aquelas doces palavras, mas sabia que a pessoa encontrava-se ali, esperando um sinal.
Olhou ao seu redor, tentando adivinhar a dona daquela letra tão linda.No fundo ele sabia quem era, porém esperou seus olhos encontrarem os dela, para que suas conclusões fossem feitas.
Ela estava ali.
Não era a mais bonita dentre as meninas,mas era a que mais podia oferecer amor.
Era uma menina mulher, que já amara, mas não fora correspondida e agora deixava a esperança que havia dentro de seu peito fluir em seu corpo.
Eram amigos, conversavam, mas ele nunca notara o amor que ela podia oferecer.Sempre a viu como uma amiga e agora, seus pensamentos estavam confusos.
Percebeu que estava diferente, seu coração batia mais forte.Era um momento especial, quão especial.
Mesmo sem nunca ter ligado muito para essas coisas, ele sabia o que estava acontecendo.
Inusitadamente levantou de seu lugar e foi até ela.
Abraçou-a e ali ficaram, concretizando ambos, a magia do amor.




sexta-feira, 2 de abril de 2010

Enfim, de volta

Há muito estive pensando em o que escrever aqui.
Fiz rascunhos de poemas,elaborei estrofes,criei alguns pensamentos.Pensei até mesmo em um novo nome para o blog, mas como percebe-se decidi ficar com esse por enquanto.
Minhas tentativas de criar um template novo foram frustradas e meu ânimo para escrever, aos poucos foi se perdendo.
Estive tão confusa durante esses meses, tão indecisa em relação à certas coisas e tudo isso era sempre constante.
Confesso que muitas vezes eu não me encontrei, senti falta de mim, dos meus amigos verdadeiros e de pessoas sinceras.
Esqueci daqui e do que eu mais gosto de fazer.
Hoje, resolvi não abandonar esse meu espaço, meu lugar precioso, no qual posso expressar meus sentimentos e expor minhas opiniões.
Agradeço de coração as pessoas que comentaram no meu último post e pelos meus seguidores.
Palavaras ao vento está de volta , de volta à ventania de sentimentos, de volta ao meu mundo.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Ao descobrir

Quando descobri que o mundo lá fora é mais do que eu imaginava, minh’alma resolveu sair voando e descobrir os mistérios que cercam nossa pacata existência.
Antes achava que meus dias não passavam de horas compridas, cheios de frustrações, medos e desilusões.
Minha rotina era monótona e a menina-mulher que habitava em mim, pouco saía para a luz, ela preferia estar trancada em uma utopia, a qual fazia dela um vulto sem ação.
Parecia estar em um deserto remoto, suando através do calor das minhas aflições e encharcando-se pelas lágrimas amargas que caiam do meu rosto.
Por muito tempo estive assim, lamentando amores impossíveis e casos nunca concretizados. Enquanto lamentei, nunca sorri de verdade.
Quis um dia sumir por aí, chorando desesperadamente por coisas fúteis e entristecendo-se por ouvir palavras cruas, as quais me magoavam profundamente. Em um passado não muito distante chorei bastante, mas hoje choro de alegria, choro por poder recomeçar e saber que em cada amanhecer posso ser alguém melhor.
Não me canso de dizer que com os sonhos tudo se torna possível e, quando esses sonhos são reais, a vida fica mais fácil.
Sonho sim, afinal, acredito que com os sonhos podemos ter objetivos reais e realizações sinceras. As ilusões aos poucos vão embora, pois viver em razão do platônico, atualmente já não é pra mim.
A cada segundo me dou conta que tenho uma vida para aproveitar, percebi que nem só de alegrias pode-se viver. Me conformei que sem erros não há aprendizado e que sem desilusões não conhecemos alguém melhor.Para tudo tem sua hora, até mesmo para o amor.
Hoje faço dos meus segundos uma festa de emoções. Procuro sentir meus anseios e descobri-los junto ao mundo.
Estou me descobrindo e descobri que estou apaixonada, apaixonada pela vida e pelas coisas boas que ela nos reserva.
Quando descobri que eu consigo, o tempo parou.